2017

out 11
ENCONTRO CELEBRATIVO DA PJM UNIVERSITÁRIA

ENCONTRO CELEBRATIVO DA PJM UNIVERSITÁRIA

Postado por PJM em Sem categoria

No último final de semana (7 e 8 de outubro), aconteceu, na cidade de Toledo/PR, o Encontro Celebrativo da Pastoral da Juventude Marista Universitária.

Este encontro reuniu 26 jovens de todos os câmpus da PUCPR (Curitiba, Londrina, Maringá e Toledo).

A temática deste ano estava baseada no Jogo de Tetris. A ideia principal era refletir com os jovens que, como no jogo, somos “peças” diferentes, que se “encaixam” num mesmo grupo para partilhar a vida e os sonhos.

Durante o encontro, os jovens puderam partilhar como foi o ano da PJM universitária em suas realidades e quais são os  anseios para continuar nessa caminhada.

Também tiveram uma conversa com o escritor e voluntário Jonas Kaz, que apresentou como foi a experiência de voluntariado na África, que deu origem ao livro “Agora é a tua vez”. Um depoimento inspirador, que motiva a sair da zona de conforto e rever os rumos do projeto de vida.

Os jovens também foram chamados a refletir sobre o que esperam da PJM na universidade e como querem se comprometer para que esses sonhos se realizem.

Por fim, os jovens vivenciaram o último encontro preparatório para o 2º Congresso Nacional da PJM, em que participarão 4 jovens delegados.

Foi um encontro propício para partilhar a vida, os sonhos e pensar nos novos passos, rumo a um novo começo!

 

Agradecemos a todos e todas que participaram do encontro!

 

out 10
2º CONGRESSO NACIONAL DA PJM

2º CONGRESSO NACIONAL DA PJM

Postado por PJM em (in)formação

Salve, salve galera!!!

Nosso Congresso está se aproximando.

Vai acontecer 11 a 15 de outubro, com aproximadamente 400 jovens Maristas, que estarão reunidos em Porto Alegre (RS) para vivenciarem o 2º Congresso Nacional da PJM. De nossa Província participarão 120 pessoas, dentre jovens participantes, pastoralistas, Irmãos Maristas e equipe de trabalho.

Esse Congresso será um momento privilegiado de evangelização juvenil, no qual os jovens poderão celebrar o Bicentenário Marista, bem como se conectarem aos apelos do XXII Capítulo Geral para, juntos, sonharem com ‘Um Novo Começo’ para a PJM do/no Brasil Marista!

Contamos desde já com as orações de vocês para que seja uma forte experiência de Deus, capaz de gerar frutos fecundos para a posteridade!

Para aqueles que não estarão lá presencialmente, pedimos que acompanhem pelo canal oficial de informações, na página da UMBRASIL (www.facebook.com/umbrasil1).

set 19
DIA NACIONAL DA JUVENTUDE | ARQUIDIOCESE DE CURITIBA

DIA NACIONAL DA JUVENTUDE | ARQUIDIOCESE DE CURITIBA

Postado por PJM em Sem categoria

Salve, salve galera!!

Tudo certo??

Neste último final de semana (16 e 17 de setembro), aconteceu na Arquidiocese de Curitiba o Dia Nacional da Juventude (DNJ). O evento reuniu cerca de 240 jovens, entre sábado e domingo.

Neste ano, o tema era Juventude em defesa dos povos e da Mãe Terra e o lema era “Os humildes herdarão a Terra” (Sl 37, 11), em sintonia com toda a Igreja do Brasil.

No sábado, os jovens realizaram as missões, que contava com atividade com as crianças do bairro Parolin, visita nas casas da comunidade, nas praças e nos hospitais.

No domingo foi a vez das oficinas e rodas de conversa. Foram abordados vários temas como: “Pode o jovem mudar a política?”, “Como ser um líder e despertar líderes no grupo de jovens?” , jogos teatrais, dança, música, áudio e vídeo, fotografia e reciclagem.

A presença Marista estava garantida com os jovens do Colégio Marista Santa Maria, Colégio Marista Paranaense, Centro Educacional Marista Ecológica, PUCPR e pelo Laicato Jovem. Foram mais de 45 jovens participando no encontro.

Foi um momento muito legal para trocas de experiências com os jovens que tem histórias e caminhadas diferentes da PJM. Tudo isso é importante para que participemos da Igreja, celebrando a pluralidade de juventudes.

Agradecemos a todos e todas que estiveram no evento e/ou que contribuíram direta ou indiretamente para o seu sucesso!!

 

 

 

set 12
AS JUVENTUDES DE HOJE | FÓRUM DE JUVENTUDES DO ARQUI

AS JUVENTUDES DE HOJE | FÓRUM DE JUVENTUDES DO ARQUI

Postado por PJM em Sem categoria

Terça-feira à noite, dia 29 de agosto, e o Salão Nobre do Colégio Marista Arquidiocesano estava repleto de jovens que têm algo em comum: fazem a diferença em termos de liderança.

No Fórum de Juventudes, alunos e ex-alunos ligados à PJM (Pastoral Juvenil Marista), mostraram seu protagonismo juvenil em uma atmosfera informal, sentados em almofadas, com flores, música e dinâmica.

O Fórum esse ano inaugurou a Formação de Lideranças Maristas, ação da PJM que visa a formação de animadores e coordenadores para os grupos de jovens da Pastoral. Também esteve em sintonia com a comemoração do aniversário da PJM. Tivemos presentes jovens lideranças dos grupos da PJM, jovens do grupo de Voluntariado Marista, e jovens das outras unidades Maristas de São Paulo.

Marisa Ester Rosseto, Diretora Educacional, comentou sobre a importância da juventude: “Vocês devem ter ouvido muitas vezes de muitas pessoas que vocês são o futuro, mas vocês já são importantes no presente, no hoje, no agora. Não sei se todos vocês sabem, mas recentemente fizemos o nosso PPP (Projeto Político Pedagógico), que foi feito a muitas mãos, e nele, contemplamos um capítulo sobre o assunto, “A escola para os jovens e suas juventudes”. O abre do texto sobre as juventudes e identidades no Marista Arquidiocesano tem um trecho inspirador de um poema de Fernando Pessoa: “Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo/Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer/ Porque eu sou do tamanho que vejo /E não, do tamanho da minha altura…”.

Gabriela Stephani, coordenadora da Pastoral da Juventude da Arquidiocese de São Paulo, Karen Fukoshima, ex-aluna Marista e voluntária junto à População de Rua no Sefras (Serviço Franciscano de Solidariedade), Pedro Rivelino, ex-aluno Marista e atuante na Pastoral Carcerária, graduando em Letras na USP, Jeniffer Ernesto, ex-aluna Marista pertencente ao Programa Ismart, e membro do Movimento de Literatura e graduanda em Direito pela PUC-SP; e Victória Dandara, ex-aluna Marista pertencente ao Programa Ismart, participante da Cúpula Preparando Líderes Globais em Moscou participaram da mesa debatedora, compartilhando suas experiências, dando início ao debate sobre as Lideranças Jovens hoje.

Por Rafael Martins

set 6
CONVERSA COM DOM PERUZZO

CONVERSA COM DOM PERUZZO

Postado por PJM em Sem categoria

Bom dia pessoal!

Tudo certo para o feriado?

Bom, hoje queremos partilhar com vocês uma conversa muito bacana que a DERC teve com o Bispo de Curitiba.

A Diretoria Executiva da Rede de Colégios e os representantes dos Colégios Maristas Santa Maria, Paranaense e Anjo da Guarda estiveram com o Arcebispo Dom José Antonio Peruzzo, no dia 05 de setembro,  partilhando não apenas projetos e ações, mas sim, e antes de tudo, a alegria e a responsabilidade de evangelizar no campo da educação como participação na missão da Igreja e na ação evangelizadora da Igreja Particular de Curitiba.

Por: Osmar Resende

set 5
ANIVERSÁRIO DA PJM

ANIVERSÁRIO DA PJM

Postado por PJM em Sem categoria

Salve, salve galera!!

Nós já sabemos que recordar é viver…sendo assim, vamos ver o que aconteceu no Centro Educacional Marista de São José no aniversário da PJM:

A Pastoral Juvenil Marista celebrou, no último dia 25 de agosto, 12 anos de caminhada. Dentro do processo de amadurecimento da fé, o jovem é convidado a vivenciar momentos celebrativos e formativos visando se tonar o protagonista da própria historia.

No sábado, dia 26 de agosto, realizamos no Centro Educacional Marista São José um grande encontro, no qual todos os grupos da PJM se fizeram presentes visando a  comemoração dos 12 anos de presença na unidade. Uma manhã recheada de atividades recreativas, educativas e celebrativa, estimulando o trabalho em equipe e a vivência da mística da PJM, no qual podemos destacar a celebração final em que fizemos memória da caminhada em nossa unidade.  O evento contou com a presença do Laicato Jovem que ajudou na preparação e na execução das atividades.

Findou-se a manhã com a festa de aniversário onde partilhamos um delicioso bolo e salgadinhos, embalados pela animação da banda do colégio, a qual é formada por educandos da oficina de música da Jornada Ampliada, onde também se faz presentes integrantes da PJM.

Por Bruno Godoz

ago 31
MÊS VOCACIONAL | SER LEIGO E LEIGA

MÊS VOCACIONAL | SER LEIGO E LEIGA

Postado por PJM em Sem categoria

Bom dia galera!!

 

Encerrando nosso mês vocacional, queremos lembrar das vocações dos leigos e leigas, que ajudam a proclamar o Evangelho por todo o mundo.

Os leigos e as leigas são fundamentais na construção da Igreja plural e acolhedora, pautada na vivência dos vários dons e no diálogo.

No último ano, nossa Província tem um motivo a mais para celebrar: o nascimento do Laicato Jovem.

Iniciamos essa caminhada com os grupos em 2016, e hoje já são 19 grupos laicais em toda a Província.

É um motivo de grande festa saber que nossos jovens estão buscando vivenciar o carisma, de um jeito próprio.

 

Também queremos lembrar a importância dos leigos na catequese. Marcelino também esperava que, além de ensinar, nós pudéssemos ajudar as nossas crianças a caminhar e amadurecer na fé.

 

Nosso muito obrigado a todos os catequistas e também a todos os leigos e leigas que, em muitos espaços da Igreja, ajudam às demais vocações a levarem a Boa Nova a todos os cantos.

ago 30
MÊS VOCACIONAL | SÍNODO DOS BISPOS

MÊS VOCACIONAL | SÍNODO DOS BISPOS

Postado por PJM em Sem categoria

Salve, salve galera!!

Tudo certo??

Hoje queremos fazer um pedido especial para vocês:

 

Para nós Maristas é motivo de alegria que, no ano de 2018, o Sínodo dos Bispos acontecerá sob a luz do tema: Os jovens, a fé e o discernimento vocacional. Destacamos que, para a construção do Instrumentum laboris, que fundamentará a discussão de toda a Igreja, será realizada uma pesquisa em nível mundial, a fim de compreender as realidades dos jovens e de seus acompanhadores.

Uma vez que somos parte da Igreja, convidamos a cada um de vocês a participar desse grande movimento por meio desses questionários que foram encaminhamos a todas as dioceses do mundo e contribuirão no diagnóstico da evangelização com as juventudes:

Para os jovens (16 a 29 anos): questionário do vaticano

https://survey-synod2018.glauco.it/limesurvey/index.php/147718

Para os que trabalham com juventude (pastoralistas, irmãos, animadores vocacionais, educadores, etc):

https://goo.gl/forms/tUBxMXLS1SOvQMTn1

 

Para contribuir com as reflexões, produzimos um vídeo explicativo sobre a importância de nossa participação no Sínodo:

https://www.youtube.com/watch?v=nY5lGtEkk_Y&t=183s&spfreload=10

O prazo para responder os questionários é até o dia 15 de novembro de 2017.

A sua participação é muito importante para esse processo de escuta da igreja!

 

ago 21
MÊS VOCACIONAL | VIDA CONSAGRADA

MÊS VOCACIONAL | VIDA CONSAGRADA

Postado por PJM em Marista sou

Salve, salve galera!!

Nesta terceira semana do mês vocacional, nós temos um motivo muito bacana para comemorar: a vida consagrada!

Essa comemoração nos traz à memória quando Champagnat sonhou a Sociedade de Maria feita de irmãos educadores.

A Igreja mostra toda a sua diversidade na vida consagrada, feita de homens e mulheres, de diferentes carismas, professando um só Deus.

Lembramos algumas partes da homilia que o Papa Francisco fez no dia 02 de fevereiro, para o Dia da Vida Consagrada:

Quando os pais de Jesus levaram o Menino ao Templo para cumprir as prescrições da lei, Simeão, «impelido pelo Espírito» (Lc 2, 27), toma nos seus braços o Menino e começa a louvar a Deus. Um cântico de bênção e de louvor: «Porque meus olhos viram a Salvação que ofereceste a todos os povos, Luz para se revelar às nações e glória de Israel, teu povo» (Lc 2, 30-32). Simeão não só pôde ver, mas teve também o privilégio de abraçar a esperança por que aspirava, e isto fá-lo exultar de alegria. O seu coração rejubila porque Deus habita no meio do seu povo; sente-O carne da sua carne.

O cântico de Simeão é o cântico do homem crente que, na reta final dos seus dias, pode afirmar: É verdade! A esperança em Deus nunca decepciona (cf. Rm 5, 5); Ele não engana. Na sua velhice, Simeão e Ana são capazes duma nova fecundidade e dão testemunho disso mesmo cantando: a vida merece ser vivida com esperança, porque o Senhor mantém a sua promessa; e será o próprio Jesus que explicará, mais tarde, esta promessa na sinagoga de Nazaré: os doentes, os presos, os abandonados, os pobres, os anciãos, os pecadores… também eles são convidados a entoar o mesmo cântico de esperança, ou seja, que Jesus está com eles, está conosco (cf. Lc 4, 18-19).

Este cântico de esperança recebemo-lo em herança dos nossos pais. Eles introduziram-nos nesta “dinâmica”. Nos seus rostos, nas suas vidas, na sua dedicação diária e constante, pudemos ver como este louvor se fez carne. Somos herdeiros dos sonhos dos nossos pais, herdeiros da esperança que não decepcionou as nossas mães e os nossos pais fundadores, os nossos irmãos mais velhos. Somos herdeiros dos nossos anciãos que tiveram a coragem de sonhar; e, como eles, também nós hoje queremos cantar: Deus não engana, a esperança n’Ele não decepciona. Deus vem ao encontro do seu povo. E queremos cantar embrenhando-nos na profecia de Joel: «Derramarei o meu Espírito sobre toda a humanidade. Os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos anciãos terão sonhos e os vossos jovens terão visões» (3, 1).

Faz-nos bem acolher o sonho dos nossos pais, para podermos profetizar hoje e encontrar novamente aquilo que um dia inflamou o nosso coração. Sonho e profecia juntos. Memória de como sonharam os nossos anciãos, os nossos pais e mães, e coragem para levar por diante, profeticamente, este sonho.

Esta atitude tornar-nos-á fecundos, mas sobretudo preservar-nos-á duma tentação que pode tornar estéril a nossa vida consagrada: a tentação da sobrevivência. Um mal que pode instalar-se pouco a pouco dentro de nós, no seio das nossas comunidades. A atitude de sobrevivência faz-nos tornar reacionários, temerosos, faz-nos fechar lenta e silenciosamente nas nossas casas e nos nossos esquemas. Faz-nos olhar para trás, para os feitos gloriosos mas passados, o que, em vez de despertar a criatividade profética nascida dos sonhos dos nossos fundadores, procura atalhos para escapar aos desafios que hoje batem às nossas portas. A psicologia da sobrevivência tira força aos nossos carismas, porque leva-nos a «domesticá-los», a pô-los «ao nosso alcance» mas privando-os da força criativa que eles inauguraram; faz com que queiramos mais proteger espaços, edifícios ou estruturas do que tornar possíveis novos processos. A tentação da sobrevivência faz-nos esquecer a graça, transforma-nos em profissionais do sagrado, mas não pais, mães ou irmãos da esperança, que fomos chamados a profetizar. Este clima de sobrevivência torna árido o coração dos nossos anciãos privando-os da capacidade de sonhar e, assim, torna estéril a profecia que os mais jovens são chamados a anunciar e realizar.

Voltemos ao Evangelho e contemplemos de novo a cena. O que suscitou o cântico de louvor em Simeão e Ana não foi, por certo, o olhar para si mesmos, o analisar e rever a própria situação pessoal. Não foi o permanecer fechados com medo de algo ruim que lhes pudesse acontecer. O que suscitou o cântico foi a esperança, aquela esperança que os sustentava na velhice. Aquela esperança viu-se recompensada no encontro com Jesus. Quando Maria coloca nos braços de Simeão o Filho da Promessa, o ancião começa a cantar os seus sonhos. Quando coloca Jesus no meio do seu povo, este encontra a alegria. Sim, só isto nos poderá restituir a alegria e a esperança, só isto nos salvará de viver numa atitude de sobrevivência, só isto tornará fecunda a nossa vida, e manterá vivo o nosso coração: colocar Jesus precisamente onde Ele deve estar, ou seja, no meio do seu povo.

Todos estamos conscientes da transformação multicultural que atravessamos, ninguém o põe em dúvida. Daqui a importância de o consagrado e a consagrada estarem inseridos com Jesus na vida, no coração destas grandes transformações. A missão – em conformidade com cada carisma particular – é aquela que nos lembra que fomos convidados a ser fermento desta massa concreta. Poderão certamente haver ‘farinhas’ melhores, mas o Senhor convidou-nos a levedar aqui e agora, com os desafios que nos aparecem. E não com atitude defensiva, nem movidos pelos nossos medos, mas com as mãos no arado procurando fazer crescer o trigo muitas vezes semeado no meio do joio. 

Colocarmo-nos com Jesus no meio do seu povo, porque «sentimos o desafio de descobrir e transmitir a “mística” de viver juntos, misturar-nos, encontrar-nos, dar o braço, apoiar-nos, participar nesta maré um pouco caótica que [com o Senhor] pode transformar-se numa verdadeira experiência de fraternidade, numa caravana solidária, numa peregrinação sagrada. (…) Como seria bom, salutar, libertador, esperançoso, se pudéssemos trilhar este caminho! Sair de si mesmo para se unir aos outros» (Exort. ap. Evangelium gaudium, 87) não só faz bem, mas transforma a nossa vida e a nossa esperança num cântico de louvor. Mas isto só o poderemos fazer, se assumirmos os sonhos dos nossos anciãos e os transformarmos em profecia.

Rezemos por todas as vocações e, em especial, pela vida consagrada, que tanto fez e faz para a Igreja no mundo.

Fontes:

https://noticias.cancaonova.com/especiais/pontificado/francisco/homilia-do-papa-no-dia-da-vida-consagrada-2017/

 

ago 15
DIA DO MARISTA | ESTAR EM MEIO AOS JOVENS: NOSSO CHAMADO!

DIA DO MARISTA | ESTAR EM MEIO AOS JOVENS: NOSSO CHAMADO!

Postado por PJM em Marista sou

Hoje, em comemoração ao Dia do Marista, vamos compartilhar a experiência de vocação que nosso querido Ir. João:

Estudava em um colégio, cujo irmãos maristas estavam presentes, porém era um colégio técnico pertencente ao governo. Ali, nos anos 70, comecei a usufruir do carisma marista através das aulas de Ensino Religioso e do coral, cujo responsável era um irmão marista. Num belo dia, numa aula qualquer, adentrou um irmão para falar um pouco sobre os irmãos maristas. Era um irmão que parecia um santo, uma estátua dessas de igreja, bem alto, magro, usava um sobretudo longo e preto. Suas afeições se assemelhava muito com o padre Champagnat. O nome dele era Ir. Aurélio. Sua presença e sua fala foi extremamente impactante, que até hoje lembro-me daquela manhã, como se fosse ontem. Ao final da sua fala eu já tinha sido tocado e ficou gravado em minha mente e meu coração as fotos e o trabalho que os irmãos desenvolviam na África.

Depois desse dia, comecei a prestar atenção nos demais irmãos do colégio. Um deles, bem jovem, me chamava a atenção de forma especial. Primeiro por ser jovem e em segundo por estar sempre com os alunos no recreio, com seu violão. Ao seu redor a gente ficava, escutávamos as músicas, cantávamos juntos etc. Foi a partir desse fato que entrei para o coral, conhecendo dessa forma um pouco mais os irmãos. E foi essa proximidade do irmão aos alunos no recreio, que me fez tomar uma resolução, ainda na minha adolescência: se um dia eu fosse irmão marista, queria ser igual a esse irmão, ou seja, estar junto com a juventude. E assim se deu. Em 1977 dei meu nome para ser irmão marista. Em 1980 e 1981 fiz encontros vocacionais e em 1982 entrei na casa de formação. O tempo passou muito rápido. Em 1987, no dia 21 de novembro, há 30 anos atrás eu me tornava Irmão Marista.

Desde o primeiro momento em que abracei essa vocação, até nos dias atuais, abracei a causa juvenil. E foi lá, nos  meus 12 anos de idade, que optei por ser o que sou hoje e a partir do próximo ano, fazer a experiência de ser missionário, que me calou fundo, naquele dia em que o Ir. Aurélio falou sobre as missões. Neste mês vocacional e nesse dia do marista, convido a todos a refletirem sobre suas vocações. E se você está pensando em abraçar a vida marista, eu só digo uma coisa: vale a pena! Não tenha medo de se lançar. Muitas pessoas te esperam.

Um forte abraço e um beijão no coração do sempre amigo Brother John.

Ir. João Batista Pereira