Experiência Formativa

jul 28
ENCONTRO PROVINCIAL DO LAICATO MARISTA

ENCONTRO PROVINCIAL DO LAICATO MARISTA

Postado por PJM em Experiência Formativa

Salve, salve galera!!

 

Neste final de semana teremos o Encontro Provincial do Laicato Marista.

 

Serão mais de 200 participantes, entre leigos, leigas e irmãos, que virão de toda província, para celebrarmos os 200 anos do Instituto:

O tema do encontro será “Mística Marista – Juntos, um novo começo” e o lema “Que haja entre vós um mesmo coração e um mesmo espírito”.

 

Teremos representantes do Movimento Champagnat da Família Marista, dos Grupos Laicais e do Laicato Jovem.

 

Certamente será um encontro muito bonito para a troca de experiências e vivência do carisma.

jul 3
15ª EDIÇÃO TECPUC SOLIDARIEDADE ILHAS

15ª EDIÇÃO TECPUC SOLIDARIEDADE ILHAS

Postado por PJM em Experiência Formativa ,

Salve, salve galera!!!

Hoje queremos partilhar com vocês sobre o TECPUC Ilhas, que aconteceu no último final de semana, na Ilha de Superagui, em Guaraqueçaba/PR.

Foram 42 pessoas envolvidas, entre professores, alunos (Médio e Técnico) e colaboradores.

O projeto, que existe desde 2012, iniciou nas Ilhas de Poruquara e Tibicanga, a partir de um anseio pastoral e pedagógico em oferecer aos alunos um conhecimento atrelado a experiência em favor da vida e da comunidade, oportunizando o exercício da cidadania e da solidariedade.

Passando por 15 edições, contemplando a participação de mais de 500 alunos dos diversos cursos oferecidos pelo TECPUC, já esteve presente também na Ilha Rasa e agora na Ilha de Superagui. Com o objetivo de promover a troca de experiências, o conhecimento científico/ tecnológico somado aos valores maristas através da prática da solidariedade, o projeto busca favorecer todos os envolvidos por meio da troca de experiências, convivência, diálogo e partilha de vida.

Os alunos têm a oportunidade de desenvolver os conhecimentos adquiridos em sala de aula, em favor da comunidade na Ilha e através da interação local podem absorver o conhecimento transmitido pelos moradores nativos, tendo contato com a natureza e com os costumes da comunidade.

Nesta 15ª edição a Pastoral do TECPUC ousou abordar toda comunidade interna, envolvendo além dos alunos e professores dos cursos técnicos, aos quais o projeto foi pensando, quis-se atingir também o Ensino Médio através da PJM (Pastoral Juvenil Marista) e do Projeto Revitalize que tem tamanha importância no desenvolvimento da ecobiologia interior entre seus participantes. A partir do sentimento de pertença e chamado ao voluntariado duas colaboradores das áreas administrativas do TECPUC também se interessam, fizeram os processos de formação e se dispuseram a enfrentar esse desafio juntamente com os demais envolvidos.

Com o intuito de levar aos alunos do TECPUC não apenas um conhecimento de qualidade em sala de aula, o projeto TECPUC Solidariedade Ilhas leva os alunos a experimentar de maneira concreta um ensino de excelência passando por um processo de crescimento humano e solidário despertando nele uma consciência mais ética, justa e solidária capaz de transformar conceitos, comportamentos e atitudes conforme os preceitos de Champagnat.

Veja alguns depoimentos dos participantes:

Essa foi a 3° edição do Projeto Ilhas que tive a oportunidade de participar. Cada vez é uma oportunidade única de conhecer uma comunidade incrível e com tanta gente acolhedora. Dessa vez não foi diferente. Fomos muito bem recebidos pelos moradores da Ilha que nos acolheram como muito carinho e nos fizeram sentir como se estivéssemos em casa. Fazer oficinas com as crianças nos remeteu que não precisamos de muito nessa vida para chegar ao final do dia com um sorriso no rosto de deves cumprido. Uma experiência que ficará marcada por muito tempo! (Matheus Rosa – Ex aluno TECPUC).

Vivendo e sentindo o natural e necessário. Superagui, meu até breve. Obrigado a todos os colegas envolvidos, fomos unidade TECPUC, coadjuvantes em meio a grandiosidade do paraíso e o carisma empolgante e motivador da comunidade. Lembrando que nem sempre é bom ser protagonista, como é valioso ser instrumento e suporte para um propósito, ter a chance de observar e realizar. Temos muitas pessoas por trás de nós, estruturas basilares, coadjuvantes sem os quais não somos ou seremos. Gratidão é palavra que define cada momento, cada história que compartilhamos, olho no olho. Por muitos dias e momentos como este aqui registrado. (Felipe Cunha – Aluno PUCPR)

 

mar 23
EDITAL DE CONVOCAÇÃO | MSM IR. LOURENÇO

EDITAL DE CONVOCAÇÃO | MSM IR. LOURENÇO

Postado por PJM em Experiência Formativa

Salve, salve galera!!

Tudo certo??

Hoje temos uma notícia bem legal para compartilhar com vocês: a publicação do edital de convocação dos jovens para participarem da Missão Solidária Marista Ir. Lourenço.

Este ano a missão vai acontecer em Nova Andradina/MS, dos dias 7 à 14 de julho.

Uma das novidades é que teremos a presença dos fraternos do Movimento Champagnat da Família Marista participando da experiência.

No edital estão todas as informações sobre as etapas de seleção.

Também agradecemos a Pastoral da PUCPR, que nos inspirou na construção do edital.

Fiquem atentos aos prazos!

Segue o link:

https://drive.google.com/file/d/0B60hsSQSjAlRaXpoUTc1bHBULTg/view

jan 17
Diário de Bordo – 1º e 2º dia da MSM de São Paulo

Diário de Bordo – 1º e 2º dia da MSM de São Paulo

Postado por PJM em Experiência Formativa, Missão Solidária Marista

E demos início à Missão Solidária Marista de São Paulo – SP. Com a participação de jovens vindos de muitos lugares, Goiânia, Ribeirão Preto, Santos, São Paulo, Curitiba, Jaraguá do Sul e  Joinville. Somos mais de 40 participantes reunidos no Centro Social Marista Robru, engajados em realizar gradativamente o sonho de São Marcelino Champagnat, o de tornar Jesus Cristo conhecido e amado. E faremos isso por meio das nossas ações solidárias e de amor à comunidade.

DSC09565

“Os dois primeiros dias de Missão 2017, foram uma introdução às famílias da comunidade, que receberam os missionários e nos foi apresentado a realidade e história da região, preparando os participantes para os próximos dias, experiências e atividades. Após as apresentações, as expectativas dos missionários foram criadas.

Pessoalmente espero que possa levar às pessoas da comunidade momentos felizes e proveitosos, mesmo que por um pequeno tempo, para ficar em suas memórias. Além disso, anseio levar as experiências aprendidas com as famílias, para a minha realidade, onde eu possa melhorar como pessoa e valorizar mais minha vida e condição.” 
(João Pedro Astolfo – Ex-aluno do Colégio Marista de Ribeirão Preto)

Ainda fez-se a experiência do desconhecido, como Rosey para Champagnat, no sentimento do nascimento para o novo. Para que demonstrassem o sentimento de disposição para enfrentar aquilo que lhe era proposto.

DSC09719

“Nós próximos dias, espero sair daqui com outra mente, ajudando ao máximo, fazendo com que meu projeto de vida vá se encaminhando e acima de tudo, me sentindo feliz e realizado.” 
(Caio Teles – Aluno do Colégio Marista Arquidiocesano)

Enriquecidos dos valores maristas para transmitir solidariedade, finalizamos esses dias na esperança de momentos melhores e de levar/receber mais amor daqueles que encontrarmos.

dez 8
Encontro Celebrativo da PJM Universitária 2016

Encontro Celebrativo da PJM Universitária 2016

Postado por PJM em Experiência Formativa

A terceira edição do encontro, que tem como propósito reunir os jovens integrantes da Pastoral da Juventude Marista (PJM) dos quatro câmpus da PUCPR e também das duas unidades da Católica de SC, aconteceu na cidade de Londrina, nos dias 03 e 04 de dezembro de 2016, na Chácara São José das Irmãs Claretianas. Desta vez, o tema foi: “Jovens em torno da mesma mesa”, no qual  estiveram presentes 41 estudantes oriundos dos 6 câmpus citados acima. Também fez parte da equipe, o professor Jully Mar (prof. de História no Colégio Santa Maria de Curitiba) e o Irmão João Batista (Diretor Institucional do Setor de Pastoral da PMBCS) e ainda 9 pastoralistas das unidades presentes no evento.

               O encontro celebrou as ações realizadas durante o ano de 2016 pelos jovens da PJM, promoveu espaço para reflexão e formação dos mesmos e também estabeleceu objetivos para o próximo ano.

Durante o final de semana, o professor Jully provocou a reflexão sobre os elementos característicos da história brasileira e os impactos que ainda são sentidos na sociedade. O Ir. João Batista dialogou sobre elementos do carisma Marista e sua contribuição para a manutenção da missão. Os pastoralistas Marcos Tonasse e Juliana Zanona lembraram a todos sobre a importância, para o contexto de PJM, do senso de liderança servidora. O Coordenador de Pastoral, Valcir Moraes, realizou um momento provocativo junto aos jovens no sentido de pensarem indicativos importantes para a caminhada do grupo e elaboração do planejamento de atividades para o próximo ano.

Esta formação se encerrou com a celebração da Eucaristia. Ao redor do altar, estes jovens que pretendem viver mais de perto o jeito Marista de ser, celebraram suas conquistas e compartilharam seus projetos, acreditando que juntos podem ir além e contribuir para a construção de uma sociedade mais justa, fraterna e humana.

Por Juliana Zanona e Marcos Gleiser

dez 6
ACAMPA da PJM dos 7º ao 9º anos | São Bento do Sul

ACAMPA da PJM dos 7º ao 9º anos | São Bento do Sul

Postado por PJM em Experiência Formativa ,

Salve, salve galera!!

Gostaríamos de partilhar com vocês um pouco do que aconteceu no último fim de semana em São Bento do Sul…

Nos dias 02, 03 e 04 de dezembro aconteceu o “ACAMPA” da Pastoral Juvenil Marista (PJM) dos 7º aos 9º anos.

O ACAMPA foi realizado para celebrar e comemorar a caminhada de 2016. O evento foi organizado e dinamizado pelo Núcleo de Pastoral, composto pelo pastoralista Nivaldo Lis Junior e pelos Coordenadores de grupo da PJM.

Foram três dias de convivência, aprendizado, superação, espírito de equipe, reflexão, emoção e muita alegria. Devido as fortes chuvas a atividade foi realizada na Escola São Bento.

Parabéns e obrigado pela participação de todos.

Com carinho, Nivaldo Lis Junior – Coordenador da Pastoral Juvenil Marista (PJM) na Escola São Bento

Acesse a todas as fotos do evento: https://www.facebook.com/pg/PJM-S%C3%A3o-Bento-1815882905298231/photos/?tab=album&album_id=1898679790351875

nov 11
E pôs-se a caminhar com eles… | Retiro Itinerante do Laicato Jovem Marista

E pôs-se a caminhar com eles… | Retiro Itinerante do Laicato Jovem Marista

Postado por PJM em (in)formação, Experiência Formativa

Salve, salve galera!

 

Feriado chegando e é uma ótima oportunidade de que? Caminhar! Isso mesmo!

Serão  mais de 30 participantes do Retiro Itinerante do Laicato Jovem Marista, percorrendo 70 km, durante 3 dias.

São jovens vindos de São Paulo, Itapejara d’Oeste, Chapecó, Jaraguá do Sul, Curitiba, Ponta Grossa e Maringá.

No decorrer do caminho, além da bela paisagem, eles terão a oportunidade de pensar sobre o legado de Champagnat e como vivenciamos isso nos nossos grupos laicais neste primeiro ano.

Rezemos, todos juntos, para que seja um bom encontro a todos os peregrinos, lembrando que Marcelino também caminhou muito por suas terras: refletindo, rezando e partilhando.

ago 23
Fórum de Juventudes | Colégio de Cascavel e PUC Toledo

Fórum de Juventudes | Colégio de Cascavel e PUC Toledo

Postado por PJM em Experiência Formativa

Salve, salve galera!

 

Gostaríamos de compartilhar com vocês que neste último final de semana, no Colégio Marista de Cascavel, foi realizado o I Fórum de Juventudes 2016.

Neste fórum foram debatidos quatro temas: Direitos da Juventude, Juventude e Preconceito, Juventude e Meio Ambiente e Juventude e Protagonismo Feminino.

Nos TED’s, os jovens puderam conhecer um pouco mais sobre o tema. Depois, cada um pode participar de uma roda de conversa, na qual foram pensadas pequenas ações para serem realizadas até o próximo fórum, que está previsto para dia 08 de outubro.

O encontro foi pensado e realizado pelas equipes de pastoral do Colégio de Cascavel e pela PUC de Toledo, juntamente com os jovens.

Parabéns a todos e a todas que participaram do evento!

jul 14
“Amai-vos uns aos outros”

“Amai-vos uns aos outros”

Postado por PJM em Desafio, Experiência Formativa

“L’Hermitage, como Jerusalém, é o lugar da morte de quem idealizou um projeto para a construção do Reino. São lugares inspiradores para quem se dispõe a continuar a missão. No seu Testamento Espiritual, o Pe. Champagnat deixa-nos seus ensinamentos: a devoção à Boa Mãe Maria, sua humildade e desapego das coisas materiais deste mundo e o pedido mais gritante: “amai-vos uns aos outros! Oxalá se diga de vocês: Vejam como se amam os Irmãos”. Viver no amor é o espírito que L’Hermitage evoca, comprometendo as pessoas com a comunidade. Na proposta marista, voltar a L’Hermitage é como voltar a Jerusalém: ali o carisma ressucita, para viver em nós.” (Mística da Pastoral Juvenil Marista – artigo 147)

A missão marista é um sopro diário de vida, estar em missão é a busca constante da paz exterior e interior em meio ao caos. A missão Ir. Lourenço tem o propósito de convivência com as famílias, sem gestos concretos, se diferindo de missões anteriores. Sendo assim, traz para o missionário um tempo de reflexão, pois nada construído se vê e é palpável, mas internamente ocorre a grande mudança.

O caminho de uma semana é cheio de luzes e sombras e, quando não se sabe o que fazer, bate o desespero. Fiquei numa casa que tinha o casal e duas crianças, uma de 4 e outra de 6 anos, tornando-se ainda mais difícil pelo fato de não saber lidar com crianças. No primeiro dia passei com minha vizinha e amiga a tarde, visto que a família dela estava indo para a cidade e não tinha como levá-la. Passamos a tarde com as crianças, mas em momento nenhum elas quiseram brincar conosco. Sendo assim, a segunda barreira encontrada, a primeira já era entrar na família. De noite, quando fui me deitar, não sabia o que fazer e batia o desespero. Surgiam perguntas do tipo: “Qual o meu propósito? O que vim fazer aqui? Minha missão será essa mesmo? O que farei se os próximos dias foram assim também?”. Como não tinha respostas, a única coisa que consegui fazer foi chorar, então resolvi rezar. Lembrei-me do episódio de “Perdidos na neve” e rezei o “Lembrai-vos”, para que tivesse minha missão norteada. Terminei minha oração e fiquei conversando com Deus, então dormi. Os outros dias se tornaram mais fáceis, sempre agradecendo no final de cada dia pelo que tinha passado. Numa das reflexões que fiz, no ponto mais alto que tinha perto da minha casa, encontrei-me em L’Hermitage, como há quase um ano atrás. Um vale rural, onde pouco se vê de casas, apenas a natureza. A única casa que via era a casa que estava. Como falado pelo Ir. Alan, das Filipinas, quando nos foi apresentar a casa: “Você pode levar sua L’Hermitage para onde quiser, basta ter sua fé e missão”. Dali pra frente, meu pensamento mudou completamente. Era para estar ali, era para lidar com as crianças, era pra ouvir o que a família que me acolheu tinha para falar.

Como já disse, a missão é constante. Sempre que for chamada, farei o máximo para atendê-la. Independente do lugar que me chamem ao serviço da missão marista, irei atender. “Tornar Jesus Cristo conhecido e amado” é a missão mais importante que recebemos nesta caminhada. Muitos conhecem Jesus, mas poucos vão até ele. Logo, o objetivo do missionário é ir de encontro a essas pessoas que por diversos fatores não o encontram. A vida do missionário é encontrar Deus nas pessoas e nas coisas e mostrar através de gestos, brincadeiras e conversas, o quão maravilhoso é o encontro com Ele e com o outro.

Estar em missão é encontrar-se e se encontrar no outro. “Dizem por aí que a vida deve ser medida em intensidade – nunca em minutos! -, portanto, se quer viver muito,mesmo sem saber quanto tempo ainda viverá, viva intensamente enquanto a sua luz ainda está acesa e o seu coração ainda faz tum-tum. Porque a inapagável iminência do blackout total, infelizmente – e também felizmente, né? -, é uma certeza que você agora tem, criança.” ( “O amanhã é uma hipótese” – Não quero um amor meia-boca, Ricardo Coiro).

Por Giovanna Campos

jun 21
Depoimentos | III Jornada Provincial Marista das Juventudes

Depoimentos | III Jornada Provincial Marista das Juventudes

Postado por PJM em Experiência Formativa, Partilha

Salve, salve galera!

 

Hoje queremos partilhar com vocês um pouco sobre as impressões dos facilitadores dos workshops feitos na jornada.

 

“PRA VOCÊ, COMO FOI APLICAR A OFICINA/WORKSHOP?”

Jucie Parreira: (ARCO E FLECHA)

Foi bem interessante no sentido de que a gente pode proporcionar aos alunos não somente um contato com a diversidade cultural que temos no Brasil. Quando a gente começa a pensar na questão de arco e flecha, a variedade que a gente tem, mas, é principalmente a ideia do trabalho do foco e a ideia do preparo do próprio material, a ajuda que eles tiveram que fazer. Porque a gente começou primeiro com um grupo fazendo o treino da atividade e esse grupo  multiplicou: tem que trocar material, tem que ajudar o colega, tem que pensar essa forma, porque a forma final é decisiva para acertar o alvo ou para conseguir ter velocidade, isso é fundamental, isso exige planejamento. O fato da gente conseguir dialogar com eles sobre isso foi fundamental para a oficina.

Abel Domingues – Projeto cabeça de Coco: (BONECOS)

A experiência é simplesmente indescritível, o prazer de estar aqui, o privilegio de compartilhar essa comemoração do bicentenário dessa missão, desse proposito marista com a juventude é um prazer inenarrável. É uma satisfação, um prazer e espero ter o privilegio de participar muitos outros anos com vocês.

Michele Bravos – Jornalista: (FOTOGRAFIA)

Gostei bastante de poder compartilhar um pouco da minha experiência com a fotografia com os alunos, principalmente porque a gente focou na ideia da fotografia com celular, então eu acredito que a fotografia esta além do instrumento que a gente usa, ela é muito mais que isso. Espero ter contribuído de fato com os alunos. Eles se interessaram, porque eu vi alguns já fazendo a foto, e a gente propôs um exercício que eles pudessem fotografar durante o evento com alguns temas em mente e a ideia e que isso possa gerar um álbum com os olhares deles. Essa expressão deles, de como eles têm entendido o evento e vendo além do obvio. Pra mim foi muito gratificante partilhar e espero que as fotos retratem o trabalho dos alunos.

Felipe Gabriel Motin – Pastoralista da PUCPR (MÚSICA)

Pra mim foi uma experiência muito interessante e importante, poder ver os jovens empoderados por meio da música, ver a música tomando uma proporção enorme dentro do coração deles. Vendo que eles têm uma visão crítica da realidade e da sociedade em que eles vivem e que eles conseguiram colocar isso por meio da música, foi fantástico. Então, eu fico muito grato por essa oportunidade e por estar fazendo parte dessa equipe e dessa jornada. Rumo a mais 200 anos de muita diferença, de transformação social que a gente está buscando.

João Leno Venuka –  (FILTRO DOS SONHOS).

Foi bem gratificante, pela questão do filtro dos sonhos. É um tema bem importante trabalhar sonhos, a gente abordou a questão dos sonhos, aqueles que a gente sonha dormindo ou acordado e ver a diferença de cada jovem ao tecer essa teia dos sonhos. Alguns com um pouco mais de dificuldades e outros não. Na hora de fazer o filtro dos sonhos alguns desistindo e outras pessoas do lado tentando ajudar pra não desistir, mas no geral todos conseguiram fazer o filtro dos sonhos e foi bem bacana, todos gostaram muito.

Annelise Mileo – Educadora Social no Centro Educacional Marista de Curitiba: Teatro

Foi muito divertido, porque é um público jovem, eu também sou jovem, então a gente fala a mesma língua. Eles conseguiam prestar bastante atenção no que eu estava falando. Fazia uma linguagem muito parecida com a deles. Como eu trabalho com teatro a 20 anos praticamente, eu conseguia improvisar alguns exercícios cênicos com eles através da realidade que eles estavam me trazendo. Ao longo da oficina modifiquei o que tinha sido programado, porque percebi que a necessidade deles era outra, mas isso aconteceu porque me senti a vontade. Foi muito legal, adorei.

Rudi Nicola – Projeto Stencil

Primeiro agradecer o convite do grupo, primeira vez que trabalho dentro do Colégio [Marista] Santa Maria, mesmo estando no Grupo Marista, a gente acaba executando trabalhos separadamente. E primeiro trazer o Stencil para o colégio é importante, pois essa é uma experiência que a gente trabalha nos Centros Sociais. Trazer um pouquinho dessa coisa da arte Urbana que muitos dos jovens que a gente trabalha se apropriam. Então é isso, trazer para outros espaços metodologias que a gente usa nos centros sociais, que tem a ver com arte urbana, cultura urbana e que a gente usa para a transformação social de modo geral.

Claudia Pacheco – Empoderamento Feminino

Foi muito melhor do que eu imaginava. Eu tinha pensado em fazer uma parte teórica e uma parte prática e aí começaram com a teoria e acabamos fazendo uma roda de conversa, um grupo de discussão. As meninas participaram super bem, acho que foi um aprendizado para mim e todos que estavam juntos, foi muito bom, a gente discutiu bastante e com certeza vai sair daqui muitas reflexões bacanas.

Por Nathan da Costa