Feliz ano novo pessoal!!!!

E nesta segunda-feira (08), quatro jovens se direcionam para os seus trabalhos na Missão Solidária Marista Champagnat.  Esta é a primeira edição da MSM Champagnat, que é a última etapa do Itinerário de Educação para a Solidariedade. Os trabalhos serão realizados do dia 8 ao dia 20 de janeiro.

A proposta desta etapa é desafiar os jovens a estarem em lugares que não são maristas, mas que também vivenciam a solidariedade a partir das demandas de cada realidade. A experiência também será mais longa que nas outras etapas. Serão duas semanas vivenciando junto com a instituição acolhedora todos os desafios e potências de cada local.

Os jovens que participam desta missão são:

João Heim – ex-aluno do Colégio Marista de Cascavel

Maria Fernanda Macanhão – ex-aluna do Colégio Marista de Cascavel

Sabrina Vieira – ex-aluna do Centro Social Marista de Dourados

Wellington Kozerski – ex-aluno do Centro Social Marista de Itapejara

João e o Wellington estão na Casa do Migrante, em São Paulo:

“A Casa do Migrante tem como principal objetivo fazer com que os acolhidos se sintam bem, se relacionando com o ambiente como se fosse sua própria casa. A equipe que trabalha na Casa fomenta a liberdade, responsabilidade e solidariedade num ambiente fraterno e solidário.

Os serviços de acolhida ao Migrante dos Scalabrinianos começaram em 1978, durante a década de maior deslocamento das pessoas do campo para as cidades. Surgiu como contrapartida à política migratória adotada no Estado de São Paulo, no momento em que a sociedade local passou a ver os migrantes como um problema. Os serviços de acolhida somaram-se a uma série de atividades que já eram desenvolvidas no âmbito da Missão Paz, visando a inserção dos migrantes, com destaque para a realização de cursos profissionalizantes.

No início, a Casa do Migrante (CdM) atendeu na sua grande maioria a migrantes internos (cerca de 95%), mas também atendia imigrantes e refugiados. Em 1978 recebeu vários refugiados vietnamitas., e após 1988 novos rostos foram chegando. Hoje 90% dos acolhidos são imigrantes e/ou solicitantes de refúgio”.

Maria Fernanda e Sabrina irão para Florianópolis, na Casa de Acolhimento Darcy Vitória de Brito:

“A casa de acolhimento Darcy Vitória de Brito é um serviço de acolhimento institucional de alta complexidade, fundada em 01 de abril de 2010 na comunidade do Monte Serrat, região central de Florianópolis/SC.

A casa é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos que atende cerca de vinte crianças e adolescentes encaminhadas pelo poder judiciário ou conselho tutelar. 
As crianças e adolescentes acolhidos são de ambos os sexos com idade entre 07 e 17 anos, marcados pela violência, abandono, negligência e conflitos familiares.

A casa de acolhimento Darcy Vitória de Brito é um projeto do Centro Cultural Escrava Anastácia, fundado em 1998 no maciço Morro da Cruz com o objetivo de proporcionar atividades para as crianças da região, e assim, estas não ficassem entregues aos apelos do tráfico e da criminalidade.

A casa tem como mentor o Instituto Padre Vilson Groh, que apoia técnica e financeiramente sete organizações sociais que desenvolvem ações de atendimento à população socialmente vulnerável em Florianópolis/SC.
A casa de acolhimento se mantêm parcialmente com o apoio da prefeitura de Florianópolis, mas principalmente, conta com o apoio de doações, com a cooperação de voluntários e com programas sociais”.

Durante as próximas semanas vamos partilhar as experiências vividas pelos jovens. Aguardem!!

Fontes:

http://www.missaonspaz.org/casa-do-migrante

https://www.facebook.com/pg/casadeacolhimentodarcyvitoriadebrito/about/?ref=page_internal