Salve, salve galera!

Tudo em paz?

O mês de abril está caminhando para os “finalmente”, mas ainda dá tempo de falar sobre um assunto muito importante e que, infelizmente, falamos pouco: índios.

E como sempre, antes de dizer qualquer coisa, preciso fazer algumas perguntas:

  • Será que nós conhecemos, pelo menos um pouco, da realidade das mais de 300 etnias indígenas diferentes?
  • Como nós conhecemos e reconhecemos a cultura indígena hoje? Será que a gente lembra que ela existe?

No dia 19 de abril, “comemoramos” o dia do índio. Mas como fazemos isso? Apenas vestimos as nossas crianças e lhes pintamos o rosto? Será que isso realmente é uma forma de celebrar?

Poucos são aqueles que conhecem a luta do povo indígena dentro do nosso país. Muitas vezes ignoramos que eles passam por muitas dificuldades para manterem-se em suas terras. São mortos e não se tornam estatísticas.

Muitos são aqueles e aquelas que quando vem para cidade acabam tendo “vícios urbanos” como droga, álcool e muitas mulheres se prostituem.

Quantas vezes dizemos: “O lugar deles não é aqui, é lá na tribo, lá no mato!”, para justificar as violações que passam todos os dias.

A causa indígena deve ser trazida à tona. As pautas deles são diferentes das nossas. Sabemos pouco, ou quase nada sobre as dificuldades que passam.

Já parou para pensar que os índios já não moram mais em ocas, que podem sim ter acesso a informação, internet, estudar e ter um diploma, isso tudo sem deixar de ser Tupinambá, Guarani, Pankararu, Tuxá, Mundurucu, Yanomami?

Vale a reflexão: “Eu vim para que todos tenham vida, e a tenham em abundância”

Recomendações:

 – http://www.indiosonline.net/

 – https://www.youtube.com/watch?v=nM_gEzvhsM0 – Índios (Legião Urbana)

Por Laura Ferraz