Salve, salve!

O tema de hoje é um pouco pesado, mas precisamos falar sobre isso.

Infelizmente, a cada dia, milhares de crianças e adolescentes sofrem com a exploração sexual em todo o mundo. A maioria das vezes, a violência acontece pelas mãos de parentes e pessoas conhecidas das vítimas. Por serem jovens, são ameaçadas e ficam com medo de contar a seus pais e denunciarem a polícia.

Os agressores colocam na cabeça de vítima que elas são as culpadas ou que merecem aquilo.

A cada hora, 228 crianças, em especial meninas, são exploradas sexualmente em países da América Latina e do Caribe.

Dos 5.561 municípios brasileiros, em 937 ocorre exploração sexual de crianças e adolescentes. O número representa quase 17% dos municípios de todo país. A Região Nordeste é a que mais cresce em número de visitantes estrangeiros (cerca de 62% são da União Europeia), segundo o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur). Cruzam o país ao menos 110 rotas internas e 131 rotas internacionais relacionadas ao tráfico de mulheres e adolescentes com menos de 18 anos para fins de exploração sexual.

Em Santa Catarina o Ministério Público (MPSC) e o Fórum Catarinense pelo Fim da Violência e Exploração Sexual Infanto-juvenil, com apoio da Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania, lançaram uma campanha com o objetivo de encorajar as pessoas a denunciar situações de violência.

O Centro de Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes do Grupo Marista também fez uma campanha muito legal sobre o combate a violência. A Campanha “Defenda-se”, através de vídeos didáticos e lúdicos, facilita a inserção deste assunto no meio de crianças e adolescentes.

Só NÓS temos diretos ao nosso corpo e ninguém tem nenhum direito de desrespeitá-lo. Se você conhece alguém que sofre exploração, não tenha medo de denunciar.

A vítima não é culpada!

 Denuncie: Disque 100

DIGA NÃO A EXPLORAÇÃO!

Por Larissa dos Santos Barbosa

Campanha “Defenda-se”

https://www.youtube.com/watch?v=btS4Jp22Yh0&list=PLrl6B1Ndk3huxnQYUSKtGwX9zuUMGihoo