“Porque tive fome […]” (Mt 25:35)

 

O evangelho de hoje é bastante sugestivo para nós, especialmente durante a quaresma, momento de reflexão.

Desde 2010 nossa Constituição Federal garantiu o direito à alimentação a todos os brasileiros e estrangeiros residentes no Brasil. Ainda assim, 13,6 milhões de pessoas continuam passando fome na Terra Brasilis.

São 16,2 milhões de pessoas vivendo em extrema pobreza, que tem endereço muito bem definido. Além da fome, estas pessoas ainda enfrentam o quase nenhum acesso a direitos básicos e a saneamento. Muito além dos números, estamos falando de histórias de sofrimento, dor e abandono.

A fome no Brasil não está ligada a escassez de alimentos, mas sim a pessoas que não tem a condição de comprar ou produzir seu próprio alimento.

Se pararmos para refletir tão somente sobre a quantidade de alimentos que são jogados fora todos os dias, podemos entender que a questão da fome poderia ser muito diferente. Cerca de 26,3 milhões de toneladas de alimentos são descartados no Brasil. Se levarmos em consideração que cada brasileiro produz cerca de um quilo de lixo por dia, e que cerca de 58% desse lixo é orgânico, temos um problema!

Além do alimento que é desperdiçado, ele também leva consigo todos os meios que foram utilizados para a sua produção, como água, adubo, solo, mão de obra, etc.

São muitas informações, não?!?

Não basta ajudar as pessoas que estão passando fome, dando-lhes um prato de comida. É preciso evitar o desperdício, criar consciência crítica sobre as formas de exploração do solo e dos meios naturais.

É preciso cuidar da casa comum e também de seus habitantes presentes e futuros.

 

“Porque tive fome, e destes-me de comer” (Mt 25:35)

 

Fontes:

Por Laura Ferraz