Salve, salve galera!

Hoje é um dia muito especial para nós, Maristas, porque comemoramos o dia da canonização de Marcelino Champagnat.

Para isso, nosso querido Irmão Ivo Strobino se disponibilizou a falar um pouco sobre esse grande dia. Vamos fazer uma viagem?

Grande empolgação aconteceu na Praça de São Pedro, em Roma, naquele memorável domingo, dia 18 de abril de 1999. Lá, pela primeira vez, de forma solene, oficial e canônica, Marcelino Champagnat foi invocado como santo. O privilégio de fazer tal invocação coube a um santo, o Papa João Paulo II. Ele, com voz firme, um pouco rouca, de cabeça levemente erguida e voltada para a multidão, por primeiro rezou: São Marcelino Champagnat, rogai por nós!

A invocação ecoou fundo nos corações dos presentes, provocando indescritível entusiasmo. Explodiram aplausos; foram agitadas bandeiras e faixas; multiplicaram-se os abraços de felicidade, sorrisos e lágrimas de emoção! Tudo serviu para extravasar a incontida alegria da multidão. Marcelino Champagnat estava declarado santo! A sua espiritualidade e modo de seguir a Jesus Cristo estavam ratificados como um caminho a mais de santificação na Igreja. O dia da canonização tinha sido esperado com intensidade. Acabou sendo um dia de glória!

A santidade de Marcelino tornou-se simpática. A simplicidade do seu modo de viver, as instabilidades que enfrentou, as opções pastorais que assumiu em favor das crianças e dos jovens, as virtudes da confiança em Deus e do recurso a Maria, fazem dele alguém que está próximo, alguém que é imitável. Não é um santo ultrapassado, alguém que não tem nada a nos dizer. Ele é bem humano: a sua determinação, força e ternura encantam!

A partir da sua canonização, compreendemos que ser santo não é fato extraordinário, destinado a pessoas especiais. No quotidiano normal da vida, Irmãos e leigos maristas podem e devem crescer em santidade. A frase de Champagnat “Fazer-se Irmão é comprometer-se a ser santo”, adquiriu significado mais amplo: “Fazer-se marista, como Irmão ou leigo, é trilhar caminhos de santidade”!

 

São Marcelino Champagnat, rogai por nós!

Por Ir. Ivo Antônio Strobino