misericórdia

mar 4
E sobre o perdão? – Por Larissa Dos Santos Barbosa

E sobre o perdão? – Por Larissa Dos Santos Barbosa

Postado por PJM em Partilha , ,

Esse é o ano da misericórdia como o Papa Francisco disse, agora paramos para pensar: estamos agindo com misericórdia? Merecemos que Deus tenha misericórdia de nós?

Às vezes somos fúteis, egoístas e pensamos só em nós. Deus quer solidariedade, que tenhamos amor e compaixão com o próximo.

Para agirmos com misericórdia temos que estar com o coração limpo, leve, mas com o dia-a-dia é difícil né? Às vezes um pedido de desculpa, um gesto bondoso muda o dia de uma pessoa.

E sobre o perdão?

Todos pensam “Eu não vou pedir perdão, eu estou certo! Sou orgulhoso mesmo, se ele quiser que venha pedir perdão para mim”. Como Deus diz ”Bem aventurado aqueles que pedem perdão e sabem perdoar ao próximo. Esses são os que mais sabem amar e o coração é alegrado”.

Já faz um ano que fui ao GABAON (alguns conhecem e outros não). Bom é um carnaval católico onde festejamos e adoramos a Deus, e a noite tem vários shows. Naquele dia a banda HARI tocou a música “Ultima noite”. Um pedaço da música é assim “Se hoje fosse a última noite para nós, se você tivesse só mais um chance de soltar a voz”.

No meio do show a vocalista fez uma reflexão sobre a música e falou: “Você jovem se hoje fosse sua última noite o que você faria? Será que você é merecedor de entrar no céu? Você pediu perdão para quem você magoou? Se arrependeu? Soube aceitar o perdão?”.

Naquele momento, vi muitos jovens chorando e abraçando o amigo que estava do lado ou mandando uma mensagem pedindo perdão.

Deus te deu mais um dia, não perca tempo! Peça perdão, saiba amar mais, porque você não sabe quando será sua última noite!

Por Larissa Dos Santos Barbosa

fev 11
As Cinzas e a Quaresma

As Cinzas e a Quaresma

Postado por PJM em (in)formação , , ,

Você já parou para se perguntar qual é o significado das cinzas ou até mesmo da quaresma?

Não?!

Pois aqui está uma ótima oportunidade de se (in)formar.

 

A tradição traz que sejam queimados os ramos benzidos no ano anterior e que estas cinzas, misturadas com a água benta, sejam utilizadas na quarta-feira para marcar a fronte dos cristãos.

A quaresma, por sua vez, é um momento de reflexão: De onde viemos? Para onde vamos? Quais são as atitudes que tomamos neste curto espaço de tempo que é a vida?

Durante o tempo da quaresma, focamos na memória. As coisas que passamos, nossos erros, acertos, dúvidas, respostas, e também olhamos para o futuro: O que eu quero para mim e para as pessoas ao meu redor?

 

Às vezes, a quaresma pode soar como um momento triste, mas não é isso que ela traz. Refletir não significa entristecer, mas sim pensar nas construções e desconstruções que queremos para nossa vida.

No ano da misericórdia somos chamados e reconciliação. Reconciliação com Deus, com os amigos, com os pais, com os irmãos, e conosco.

 

Quantas vezes cometemos erros e nos culpamos por muito tempo. Ou, ainda, guardamos grandes rancores em nosso coração por conta da falta que alguém cometeu contra nós. Por que será?

Tomemos para nós o aprendizado daquele momento infeliz e recomecemos, pois não existem atitudes irreparáveis, mas sim atitudes irrepetíveis.

(Re)pensemos!

 

Por Laura Ferraz

jan 27
Afinal, o que a misericórdia tem a ver com a Cracóvia?

Afinal, o que a misericórdia tem a ver com a Cracóvia?

Postado por PJM em JMJ , ,

Talvez você se pergunte: “Por que a misericórdia foi escolhida como tema para a JMJ na Cracóvia?”.

Pois bem, vamos lá.

Conta-se que em 1905, na Polônia, nasceu Irmã Maria Faustina Kowalska, que, desde muito jovem, sentiu-se chamada para a vida consagrada.

Ao contrário do que se possa imaginar, não foi nada fácil superar a vontade da família e seguir o chamado de Deus, pois eles não eram a favor.

Depois de muitas recusas, em 1925 ela foi aceita na Congregação das Irmãs da Divina Misericórdia.

Foi na Cracóvia que fez seus primeiros votos e também os perpétuos. Passou a maior parte de sua vida na Polônia, servindo como cozinheira, jardineira e porteira.

Morreu aos 33 anos. Entregou-se pela misericórdia das almas e é exemplo de fé e serviço.

Irmã Maria Faustina

Irmã Maria Faustina

 

Em ano de misericórdia, não falar sobre isso seria até um desaforo com nosso querido Papa Francisco.

Somos incitados, com o lema da Jornada Mundial da Juventude, a inserirmos a misericórdia nas nossas atividades cotidianas.

Você já parou para pensar quantos problemas poderiam ser resolvidos se as pessoas fossem mais misericordiosas umas com as outras?

Se não pensou, pense, proponha e aplique!